Biografia resumida de Chico Buarque de Holanda

Chico Buarque está firmemente identificado como uma das primeiras estrelas da música popular brasileira e um músico muito amado em todo o país. Ao ler a biografia resumida de Chico Buarque basta para compreender o quão completo é esse artista que tem a cara do Brasil.

Na década de setenta, ele subiu ao estrelato através de uma produção de hits que vão desde Bossa Nova, MPB (música popular brasileira) e Samba. Seu estilo musical tem tons de caloroso, lírico jazz e, ao lado de sua composição, ele também foi um escritor e continua a ser uma figura popular no Brasil, principalmente em tempos de agitação politico.

Buarque nasceu em uma família proeminente em 1944 e passou sua juventude entre o Brasil e a Europa antes de começar a estudar arquitetura na Universidade de São Paulo. Ao longo deste tempo, o cantor desenvolveu um amor pelos estilos de João Gilberto, e a semente da bossa nova foi plantada.

Iniciando no mundo da música

Sua estreia musical ocorreu em 1964 e, aos 21 anos de idade, sua carreira musical começou a florescer depois que a estrela bossa nova Nara Leão gravou três das composições de Buarque. Ao longo de sua carreira, apesar de continuar a crescer em popularidade, seu estilo musical também foi recebido com críticas de outros músicos que viram suas canções como muito conservadoras.

A opinião pública sobre ele teve uma reviravolta política quando, em 1968, ele produziu um roteiro para uma produção teatral existencial chamada Roda Viva. A peça radical, que se concentrou na questão da fama e “fandom” e viu o protagonista rasgado em pedaços e alimentado ao público, em uma poderosa crítica da obsessão e da batalha entre uma estrela e seus seguidores.

Ao mesmo tempo, o clima político do Brasil foi atormentado por uma ditadura militar autoritária que foi vista por muitos como repressiva, nacionalista e enfrentou fortes críticos, que seriam sujeitos a tortura, desaparecimentos e liberdade de expressão restrita.

>> BIOGRAFIA DE MILTON NASCIMENTO <<

Sucesso infinito

Até agora, o músico tinha sido capaz de evitar a censura de suas canções, mudando as letras e usando o jogo de palavras para esconder o verdadeiro significado de sua música. No entanto, em meio a um clima político tumultuoso, o roteiro de Buarque foi destacado por seu discurso político e, como resultado, os soldados foram ordenados a destruir o cenário e causar disfunção das performances antes de Buarque ser preso.

Ele era agora um compositor, um letrista, um ativista político, crítico vocal do governo brasileiro e um dramaturgo. Em resumo, um artista contemporâneo.

Tendo fugido para a Itália por um ano, o músico voltou a um clima brasileiro onde a maioria dos outros artistas e rostos proeminentes tinham sido sujeitos a censura e exílio. Como resultado, sua nova música possuía uma maior intensidade política e elementos mais fortes de protesto social que eram, mais frequentemente do que não, rejeitados pelos censores políticos. De acordo com uma biografia, a severidade do silenciamento político foi tão potente que entre 1974 e 1975, praticamente nenhuma de suas canções foram aprovadas.

Envolvimentos políticos

O governo militar começou a mudar para a democracia sob o Controle do Presidente João Figueiredo, e considera-se que a turbulência política chegou ao fim quando José Sarney se tornou presidente em 1985. No entanto, durante todo o período opressivo, Buarque se posicionou firmemente como uma voz para a esfera criativa e dissidentes militares do Brasil, além de expor o controle militar exercido sobre o teatro.

O que se seguiu foi a liberdade do músico de fazer uma turnê, e o lançamento de uma infinidade de canções altamente conceituadas que asseguraram seu lugar como um dos cantores mais populares do Brasil. Além de um letrista, ele continuou a escrever roteiros e novelas e foi nomeado para o prêmio de Literatura de São Paulo em 2010, após o que seguiu seu primeiro romance completo Leite Derramado (2011). Seus melhores trabalhos dentro da música nesta época também foram considerados Carioca (lançado em 2006) e Para Todos (1993).

Embora tenha sido sugerido que ele tenha lutado um pouco com sua popularidade aumentada, Chico Buarque continua a ser uma figura popular na cultura brasileira, tanto por suas mensagens políticas vocais e por sua maravilhosa abordagem à bossa nova e samba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *